Reflexão

"O jovem de hoje será o obsoleto de amanhã. Valorizemos nossos idosos, pois estes possuem conhecimento suficiente para suprir dúvidas sobre o passado pouco conhecido por nós."

Denis Santarém

"Desejo que você, sendo jovem,
não amadureça depressa demais, e que sendo maduro, não insista em rejuvenescer, e que sendo velho, não se dedique ao desespero, porque cada idade tem o seu prazer e
a sua dor."

Victor Hugo

"A amizade apenas encontra a sua plena irradiação na maturidade da idade e do espírito."

Marcus Cícero

"Assim como os picos cobertos de neves são bonitos, os cabelos brancos da velhice também tem sua beleza. Não apenas beleza, mas sabedoria também, de que nenhum jovem pode se vangloriar."

Osho

"Chegar a velhice nos proporciona a satisfação de ter vencido a grande batalha cujo nome é vida."

tamires

"O ancião merece respeito não pelos cabelos brancos ou pela idade, mas pelas tarefas e empenhos, trabalhos e suores do caminho já percorrido na vida."

Textos Judaicos

HISTÓRICO

Em 1984, o Sr. Djalma Batista de Oliveira, casado com a Sra. Maria Júlia Tavares, trabalhava como enfermeiro em alguns hospitais de São Paulo.

Ao ver seu pai apresentando várias complicações próprias da idade e necessitando de atendimento 24 horas, sentiu o desejo, juntamente com sua esposa, de trabalhar com assistência a idosos. Foi quando o casal começou a trabalhar numa casa de repouso na zona sul de São Paulo.

Paralelamente ao trabalho que faziam na casa de repouso, mantinham informalmente uma outra casa onde abrigavam idosos doentes que eram moradores de rua.

Em 1990, o governo federal promoveu um projeto que visava o desenvolvimento do idoso. Foi quando o casal conseguiu firmar o contrato de comodato do prédio do INSS no Cambuci (o atual endereço) e finalmente, no dia 10 de outubro deste mesmo ano, realizaram o antigo sonho de inaugurar um asilo sem fins lucrativos para abrigar idosos necessitados. 

Porém, a assistência do governo limitou-se à disponibilização do imóvel, sem nunca ter colaborado financeiramente.

Dona Júlia faleceu em 1993, mas o Sr. Djalma não desistiu do grande trabalho que tinha pela frente e até hoje administra a instituição com muita dedicação e empenho.

Você também pode ser um doador para nos ajudar a manter e a ampliar este projeto.

clique na foto para ampliar